Artigos dos Bispos

Mais uma catástrofe "É o retrato perfeito de um desenvolvimento sem sustentabilidade e certamente isso não vai parar por aí se não houver uma ação efetiva de penalidade do Ministério Público"

Dom Paulo Mendes Peixoto

Arcebispo Metropolitano de Uberaba – MG

veja todos os artigos

28/01/2019 - Atualizado em 28/01/2019 11h41

A+ a-

O que aconteceu em Mariana, e agora em Brumadinho, é o retrato perfeito de um desenvolvimento sem sustentabilidade. E certamente isso não vai parar por aí se não houver uma ação efetiva de penalidade do Ministério Público. Existe um relaxamento e uma conivência de autoridades permitindo que o flagelo se repita. Na região do Triângulo Mineiro isso pode se repetir. Tomara que não!

Não somos contra o processo de desenvolvimento e nem contra as mineradoras. Mas é inconcebível ver vidas humanas sendo ceifadas da forma como tudo está acontecendo. Os responsáveis têm sido alertados por moradores das regiões próximas de rejeitos e não são levados em conta pelas empresas. Isso aconteceu no fato de Mariana, e também nesse de Brumadinho.

Da catástrofe de Mariana eu ouvi pessoalmente de uma senhora, de Bento Rodrigues, não levada pela lama que, dias antes do fato, numa reunião com os técnicos da empresa e os moradores locais, alguém da comunidade alertou sobre o perigo da represa, e recebeu como resposta grosseira de um técnico: “Vocês não entendem nada disso. Nós técnicos é que entendemos”.

Parece que não existe culpado diante desses cenários catastróficos. O Papa Francisco diz que devemos agir contra uma economia de exclusão, que mata, e está matando como estamos presenciando no Brasil. Para o grande mercado, as grandes empresas, a morte de pessoas tem menos valor do que a notícia da descida de dois pontos na Bolsa de Valores (cf. EG, 53).

Vivemos um momento de indignação, de revolta e de dor. Quantas famílias espalhadas pelo país em situação de luto, de incertezas e de falência na sua história de vida. Ninguém recupera e nem paga o valor de uma vida humana. Sem falar dos estragos naturais provocados por essas grandes empresas, em grande parte pela ganância na conquista de mercados privilegiados.

A vocação do ser humano tem muito a ver com a santidade. Passa por um caminho capaz de levar a pessoa à conquista da verdadeira felicidade. Não significa ser majoritário na quantidade de valores materiais. A vida com qualidade está acima de tudo, e ela pertence a Deus. Isso significa que tudo passa, a morte é para todos. O que fica é o que é feito de bem, de justiça e de honestidade.

voltar
Receba artigos e notícias da CNBB Leste 2 Cadrastre seu e-mail...
Av. João Pinheiro, 39, 2º andar
Boa Viagem, Belo Horizonte - MG
30.130-183   Trace sua rota...


+55 (31) 3224-2434  -  3224-0017
© 2014 - 2017 CNBB Regional Leste 2 - Todos os direitos reservados.
acesso