Artigos dos Bispos

Bom combate Jesus fundou sua Igreja que tem a força de vencer tudo o que se opõe a seu Reino. O poder do inferno não tem a força de vencer sua Igreja (Cf. Mateus 16,18).

Dom José Alberto Moura

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros

veja todos os artigos

27/06/2018 - Atualizado em 27/06/2018 11h35

A+ a-

O combate de quem trabalha pela causa da fé em Deus não é o das armas que destroem, nem a busca de poder pelo prestígio ou por vantagens materiais e sociais. Trata sim da vida combativa pelo ideal assumido com a busca de defesa de valores da dignidade e da conduta voltada para a promoção da justiça, da verdade e do bem do ser humano e do meio ambiente. A maior grandeza, então, não é a conquista de prestígio social, de bens materiais e de mecanismos de proteção de vantagens, benefícios e privilégios.

Pedro e Paulo, grandes apóstolos escolhidos por Jesus como duas colunas gigantescas de sua Igreja, deram a vida pela causa do Mestre e de seu Evangelho. Seu testemunho do bom combate da fé os levou ao despojamento total de si para sua entrega sem reservas para anunciar a todos que a vida só tem jeito do jeito do amor de Deus. Caso contrário, o ser humano combate só a favor de interesses mesquinhos e de baixo ou nulo valor  e emprega todo esforço na busca  do que é provisório colocado como finalidade de vida. Sem caminhar com o projeto de Deus e seus valores o ser humano se empobrece, destrói e vive sem sentido. As consequências são danosas para todos: guerras, injustiças, privilégios de minorias, utilização da inteligência para a exclusão social, a fome, o desemprego, a política mesquinha e promotora da mentira e das discriminações acontecem com dano incomensurável.

A luta dos apóstolos escolhidos por Jesus é a da promoção do bem pessoal e social, com a prática dos valores que dignificam o ser humano. No final da caminhada terrena, depois de ter vivido de modo tenaz e maravilhoso, Paulo afirma ter combatido o bom combate, por causa de Jesus e a implantação de seu Reino de justiça e amor (Cf. 2 Timóteo 4,7). Ele reconhece que está reservado para ele o prêmio. Pedro foi crucificado de cabeça para baixo, não sem ter tudo feito de acordo com a incumbência dada por Jesus a Ele de apascentar suas ovelhas. Jesus deu-lhe o poder de ligar o ser humano com Deus (Cr. Mateus 16,19). Mas, em todos os momentos da vida e da missão desses baluartes da Igreja, Deus esteve com eles, dando-lhes força, coragem e perseverança para cumprirem bem sua missão. Afinal, Jesus fundou sua Igreja que tem a força de vencer tudo o que se opõe a seu Reino. O poder do inferno não tem a força de vencer sua Igreja (Cf. Mateus 16,18), mesmo ela sendo composta de seres humanos frágeis, mas tendo a graça e o poder de Deus! Pedro reconhece que, depois, de ser preso, Deus mandou seu anjo libertá-lo. Paulo também fala que o Senhor esteve a seu lado em seus combates a favor de sua missão, bem como está ao lado de toda a pessoa que  vive no seu amor e por causa dele realiza sua vontade.      

A Igreja apostólica instituída por Jesus é encarregada de ser luz para toda a humanidade. Sua missão a faz propor, promover e defender o bom combate da promoção da vida plena e de sentido para todos, até que cada ser humano seja tratado e assumido como imagem e semelhança de Deus, como fizeram os apóstolos de Jesus.

Em Pedro e Paulo temos a certeza de participar da Igreja una, santa e católica, instituída não por um fundador puramente humano, mas sim pelo Filho de Deus!

voltar
Receba artigos e notícias da CNBB Leste 2 Cadrastre seu e-mail...
Av. João Pinheiro, 39, 2º andar
Boa Viagem, Belo Horizonte - MG
30.130-183   Trace sua rota...


+55 (31) 3224-2434  -  3224-0017
© 2014 - 2017 CNBB Regional Leste 2 - Todos os direitos reservados.