Artigos dos Bispos

Festas Litúrgicas de maio A Liturgia têm sua fundamental importância enquanto uma espiritualidade que devemos viver e reviver a cada ano, para que assim possamos de forma magnânima, recordar os mistérios de Cristo derramados sobre a Sagrada Liturgia.

Dom Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora - MG

veja todos os artigos

07/05/2018 - Atualizado em 07/05/2018 09h58

A+ a-

Iniciamos nosso artigo, sobre as principais festas Litúrgicas do mês de Maio, recordando antes de mais nada que, para nós Cristãos Católicos, a Liturgia têm sua fundamental importância enquanto uma espiritualidade que devemos viver e reviver a cada ano, para que assim possamos de forma magnânima, recordar os mistérios de Cristo derramados sobre a Sagrada Liturgia.

Vale lembrar que, como já nos dizia Bouyer: “A espiritualidade cristã nasceu na Liturgia, nutrida pela Palavra de Deus dos dois Testamentos”[i]; sendo assim, podemos dizer que as festas que iremos comemorar neste mês, não deixa de ter a sua essência na Palavra de Deus, na Sagrada Tradição e na espiritualidade da liturgia.

Seguindo o Calendário Litúrgico do referido mês, podemos ver as divisões em comemorações opcionais, festas e solenidades, esta última tem cunho obrigatório em toda a Igreja, portanto as comemorações opcionais, dá-se de forma mais particular às comunidades paroquiais ou cidades que recebem o título de tal devoção, já as festas precisam ser celebradas ou ao menos recordadas durante as sagrada liturgia, lembrando também que a Igreja denomina Festas todo o tipo de evento litúrgico, porém distinguindo destas três maneiras.

Por isso aqui nos ateremos somente as datas mais importantes do Mês. Primeiramente faremos uma menção a todas as festas que celebraremos e depois retiraremos somente as solenidades para destrinchar de forma mais heterogenia suas respectivas espiritualidades.

Segue então o calendário Litúrgico do mês de maio de 2018:

1-S. José operário (opcional)
2-Santo Atanásio, Bispo e Doutor (Memória)
3-S. Felipe  e S. Tiago, Apóstolo (Festa)
4-Ascensão do Senhor ( Solenidade)
5-Mártir Sts. Nereu e Áquiles, S. Pancrácio, mártir (opcional)
6-Nossa Senhora de Fátima (opcional)
7-S. Matias, Apóstolo (festa)
8-S. João I, Papa e mártir (opcional)
9-S. Bernardino de Siena, Sacerdote (opcional)
10-Pentecostes (Solenidade)
11-S. Cristovão Magallanes e companheiros mártires (opcional)
12-Sta. Rita de Cássia (opcional)
13-S. Beda Sacerdote e médico (opcional)
14-S. Gregório VII, Papa (opcional)
15-Sta. Maria Madalena de Pazzi, Virgem (opcional)
16-S. Filipe Neri, Padre (opcional)
17-Santo Agostinho de Cantuária, Bispo (opcional)
18-Santíssima Trindade (Solenidade)
19-Visitação da Virgem Maria (Festa)
20-Corpus Christi (Solenidade)

Aqui estão elencadas as memórias, festas e solenidades, conforme fora dito acima, iremos nos ater somente nas solenidades que para este Mês se fazem tão importante e que toda a paróquia tem o dever de assim celebra-las dignamente conforme nos pede a sagrada liturgia.

Solenidade da Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo
A primeira solenidade que iremos celebrar será a Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo, esta é uma festa litúrgica que remete-nos diretamente à sagrada Escritura, quando lá em Atos dos Apóstolos capitulo I, versículos de 6-11, os apóstolos reunidos em Jerusalém podem ver o seu Mestre, o nosso Mestre se elevar ao Céus desparecendo desta forma aos nossos olhos humanos, mas fazendo-se assim visível à nossa alma. A festa da ascensão celebramos um Domingo antes de Pentecostes, que mais à frente veremos também sua importância para a espiritualidade Cristã e em especial Católica, já que ali celebraremos o nascimento da Igreja de Cristo. Mas voltando para a referida festa onde o Senhor se eleva aos Céus antes seus discípulos, podemos notar algo especial nesta data, é a festa da libertação, a festa da exaltação e da Salvação.

Libertação, pois Cristo agora parte para junto do Pai, Ele deixa os infortúnios desta terra e lá do alto com o Pai olha para nós com misericórdia, ou como ainda dizia Santa Tereza de Ávila, “este cárcere e estes ferros nos quais a alma está metida”. Sim Jesus se eleva para a glória Divina, libertando-nos deste cárcere de dor de uma vez por todas.

Mas, também esta é a festa da exaltação, não da Cruz, mas da do Filho de Deus, que elevando-se ao Céu é exaltado por toda a milícia Celeste e por todo o homem aqui na Terra. Nesta festa, celebramos de fato os valores pregados por Jesus aqui na Terra enquanto caminhava em nosso meio, que de forma espetacular se opõe aos infortúnios cometidos diariamente pelo homem, que não conseguiu ainda libertar-se de suas correntes humanas. E Finalmente é a Festa da Salvação, o homem agora pode ter a esperança renovada, Ele é de fato o libertador de Israel, de seu povo e de seus filhos amados, a partir de agora somos prediletos do Pai, sua predileção se dá pela vida de Cristo na Terra, e nossa Predileção se da pelo sacrifício de cristo na Cruz e sua gloriosa ascensão.

[i] Bouyer, L. Historie de la spiritualité. V.I. Paris,1960, p.619.

 

voltar
Receba artigos e notícias da CNBB Leste 2 Cadrastre seu e-mail...
Av. João Pinheiro, 39, 2º andar
Boa Viagem, Belo Horizonte - MG
30.130-183   Trace sua rota...


+55 (31) 3224-2434  -  3224-0017
© 2014 - 2017 CNBB Regional Leste 2 - Todos os direitos reservados.